Papel Cult

Melhores discos de 2012

fotoedit

O mesmo discurso que usei na minha lista de piores  de 2012 pode ser utilizado nessa. Assim como na minha lista de piores do ano, não estabeleci um número exato de discos, basicamente coloquei aqueles que escutei e gostei, fechei em 100 para dar um número redondo, depois disso, listo álbuns medianos (com exceção dos que receberem nota 7.0), pois, como já disse, fiz isso apenas para fechar em um número certo de discos. De novo, o número ao lado de cada título é a nota que dei para o disco, de mediano (6.0) aos da lista principal, que vão de 7.0 a 8.0 (a escala normal é de 7.0 a 10).

Outro detalhe importante, e que utilizo sempre em todas as minhas listas, é que, eventualmente, posso modificá-las depois de já concluídas, atualizando-as constantemente. Ok, já informados, fiquem com a lista.

*Nota de edição: esta lista foi alterada em 13/06/2016 em função do conhecimento tardio de que o álbum Clara Altantsegtseg, do duo francês [bleu], na realidade, fora lançado, originalmente, na versão CD em outubro de 2012, e não em 2013, como pensava. Portanto, como ele constava, até então, como melhor disco de 2013, o altero agora para 2012.

Também pretendo escrever, mais tarde, sobre os 9 primeiros colocados, a exemplo de minhas outras listas.*

a1282283171_10

1. [bleu] – Clara Altantsegtseg

Disparado o melhor disco que escutei em 2012, nenhum outro álbum conseguiu ser tão enigmático e instigante quanto esse Clara Altantsegtseg, álbum que – sem hesitar – já considero uma obra-prima da música contemporânea. Disco nenhum conseguiu, sequer, despertar o mínimo empecilho analítico que tive ao escutar esse manifesto surrealista dos franceses da [bleu]. Clara certamente foi o álbum que mais tentei me expressar em palavras em 2012, foram inúmeros textos, tanto para o meu blog pessoal, quanto para o 4 Track, em resenhas, artigos… Algo que consequentemente resultou em uma entrevista que fiz em setembro com Emmanuel Vion-Dury, uma das mentes que comandam o franco projeto. Entrevista essa que, de certa forma, clareou um pouco toda a cegueira interpretativa que tive, à primeira instância, com o trabalho do duo. No entanto, ainda assim, não consegui ter o completo discernimento do que constatei ao escutar Clara Altantsegtseg.

Poucas obras provocam um fervilhar de ideias tão fascinante quanto Clara provoca, algumas conseguem para o bem, outras para o mal em uma aversão que, futuramente, pode se transformar em afeição. Por isso mesmo respeito ambos como modelos que me tiram de um centro interpretativo-mecanicista da arte, do comodismo musical entediante e quase cotidiano que o senso crítico provoca. Fiquei livre disso em Clara. Foi um susto! Mas um susto agradável e semelhante ao que tive no ano passado com o mundo apocalíptico de Abu Lahab, são situações difíceis de acontecer, quando uma obra ultrapassa a barreira da análise estabelecida no criticismo comum e metódico.

Clara ainda me parece um enigma incrivelmente sedutor, mesmo depois de inúmeras audições, de todos os textos escritos, de toda a intertextualidade cultural que ela me motivou em outros inúmeros modelos artísticos, de toda a bagunça reflexiva, mesmo depois da entrevista, o ponto-clímax que resultou em uma curta brecha de luz na escuridão, em uma alegoria semelhante ao mito da caverna, pois mesmo depois disso tudo ainda me parece imensamente confuso explicitar diretamente o turbilhão sensitivo que é Clara Altantsegtseg. Difícil, mas muito difícil algum disco conseguir isso novamente comigo, só espero que 2014 se esforce, e muito, para entregar algo a altura.

[Top 100 com a capa dos discos]

Top 100

1. [bleu] – Clara Altantsegtseg (9.5)

2. Mirrorring – Foreign Body (9.0)

3. Xiu Xiu – Always (8.9)

4. Abu Lahab – Humid Limbs of the Torn Beadsman (8.9)

5. Seirom – 1973 (8.9)

6. Rome – Die Æsthetik der Herrschaftsfreiheit: A Cross of Fire (8.9)

7. Sigh – In Somniphobia (8.4)

8. Yuichiro Fujimoto – Speaks Melodies (8.2)

9. The Residents – Triple Dub-Ya (8.2)

10. Sleigh Bells – Reign of Terror (8.0)

11. Foxy Shazam! – The Church of Rock and Roll (8.0)

12. Mario Diaz de León – Hypnos (8.0)

13. Oneirogen – Veni Nox Anima (8.0)

14. Leoš Janáček – Choral Works – Six Moravian Choruses (8.0)

15. Dmitri Shostakovich – Piano Concertos 1 & 2; Hamlet Suite Op. 32a (8.0)

16. Natural Snow Buildings – Beyond the Veil (7.9)

17. Ricardo Donoso – Assimilating the Shadow (7.9)

18. Mouse on the Keys – Machinic Phylum (7.9)

19. King Tears Bat Trip – King Tears Bat Trip (7.9)

20. Evoken – Atra Mors (7.8)

21. BadBadNotGood – BBNG2 (7.8)

22. How to Dress Well – Total Loss (7.8)

23. Mika – The Origin of Love (7.8)

24. Local H – Hallelujah! I’m a Bum (7.7)

25. Field Music – Plumb (7.7)

26. Dirty Projectors – Swing Lo Magellan (7.7)

27. Rome – Hell Money (7.7)

28. Beach House – Bloom (7.7)

29. Andy Stott – Luxury Problems (7.7)

30. Death Grips – The Money Store (7.7)

31. Godspeed You! Black Emperor – Allelujah! Don’t Bend! Ascend! (7.7)

32. Nachtmystium – Silencing Machine (7.7)

33. Sutekh Hexen – Behind the Throne (7.7)

34. Cold Specks – I Predict a Graceful Expulsion (7.7)

35. Swans – The Seer (7.6)

36. Pop Levi – Medicine (7.6)

37. The xx – Coexist (7.6)

38. Mono – For My Parents (7.5)

39. JK Flesh/Prurient – Worship Is the Cleansing of the Imagination (7.5)

40. Tom Zé – Tropicália Lixo Lógico (7.5)

41. Delicate Steve – Positive Force (7.5)

42. Holly Herndon – Movement (7.5)

43. Jessie Ware – Devotion (7.5)

44. Ceticências – Beksinski Hug (7.5)

45. Fiona Apple – The Idler Wheel… (7.5)

46. Keiji Haino, Stephen O’Malley & Oren Ambarchi – Nazoranai (7.5)

47. The Smashing Pumpkins – Oceania (7.5)

48. Muse – The 2nd Law (7.5)

49. Diamond Terrifier – Kill the Self That Wants to Kill Yourself (7.5)

50. Bloc Party – Four (7.5)

51. Sleeping Peonies – s l o w l y d i s a p p e a r i n g (7.5)

52. Hammock – Departure Songs (7.5)

53. Jam City – Classical Curves (7.4)

54. Santigold – Master of My Make-Believe (7.3)

55. Federico Durand – El Libro de los Árboles Mágicos (7.3)

56. Ilyas Ahmed – With Endless Fire (7.3)

57. Abu Lahab – We Beheld the Last Contraction of the Seraph (7.3)

58. Jack White – Blunderbuss (7.2)

59. Julia Holter – Ekstasis (7.2)

60. YlangYlang – Coastal Heaven (7.2)

61. Horrid Red – Nightly Wreaths (7.2)

62. Alcest – Les voyages de l’âme (7.1)

63. Burial – Kindred EP (7.0)

64. Dr. John – Locked Down (7.0)

65. Dowsing – It’s Still Pretty Terrible (7.0)

66. Pigs – You Ruin Everything (7.0)

67. Black Bombaim – Titans (7.0)

68. Lunar Aurora – Hoagascht (7.0)

69. Sinéad O’Connor – How About I Be Me (And You Be You)? (7.0)

70. Nicki Minaj – Pink Friday: Roman Reloaded (7.0)

71. Samuel Barber – An American Romantic (Conspirare/Craig Hella Johnson) (7.0)

72. Farrah Abraham – My Teenage Dream Ended (7.0)

73. Beacon – For Now (7.0)

74. Charlatan – Isolatarium (7.0)

75. Kidkanevil and Daisuke Tanabe – Kidsuke (6.9)

76. Melody’s Echo Chamber – Melody’s Echo Chamber (6.9)

77. Raime – Quarter Turns Over a Living Line (6.8)

78. Kendrick Lamar – good kid, m.A.A.d city (6.8)

79. The Vaccines – Come of Age (6.8)

80. The Word Alive – Life Cycles (6.8)

81. VICTIM! – Sexually Reactive Child (6.8)

82. Kevin Drumm – Relief (6.8)

83. Guided by Voices – The Bears for Lunch (6.8)

84. John Talabot – ƒIN (6.7)

85. The KDMS – Kinky Dramas & Magic Stories (6.7)

86. Zachariah Holte – And I Gallop the Dastard Earth (6.7)

87. Those Poor Bastards – Behold the Abyss (6.6)

88. Blank Banshee – Blank Banshee 0 (6.6)

89. Lustre – They Awoke to the Scent of Spring (6.6)

90. Sam Sparro – Return to Paradise (6.5)

91. John Zorn – Mount Analogue (6.5)

92. PS I Love You – Death Dreams (6.5)

93. Tame Impala – Lonerism (6.5)

94. Sonic Death – Gothic Session (6.5)

95. Bat for Lashes – The Haunted Man (6.5)

96. Lambchop – Mr. M (6.5)

97. Crocodiles – Endless Flowers (6.5)

98. Dweller on the Threshold – Dweller on the Threshold (6.5)

99. Antony and the Johnsons – Cut the World (6.5)

100. Shining – Redefining Darkness (6.5)

 

Menções honrosas

Anathema – Weather Systems (6.5)

Black Breath – Sentenced to Life (6.5)

Azealia Banks – 1991 (6.5)

Window Twins – Wish (6.5)

Bright Light Bright Light – Make Me Believe in Hope (6.5)

Sons of Midnight – Sons of Midnight (6.5)

Die Antwoord – TEN$ION (6.5)

Frank Ocean – Channel Orange (6.5)

Céu – Caravana Sereia Bloom (6.4)

Yoko Ono, Kim Gordon & Thurston Moore – YOKOKIMTHURSTON (6.4)

Hurray for the Riff Raff – Look Out Mama (6.4)

Metá Metá – MetaL MetaL (6.4)

We Were Skeletons – Blame & Aging (6.4)

Toe – The Future Is Now (6.4)

The Bilinda Butchers – Goodbyes (6.3)

Right Away, Great Captain! – The Church of the Good Thief (6.3)

Killer Mike – R.A.P. Music (6.3)

The Lumineers – The Lumineers (6.3)

Labirinto – Kadjwynh (6.3)

Grizzly Bear – Shields (6.3)

Lee Fields – Faithful Man (6.2)

Allah-Las – Allah Las (6.2)

Animal Collective – Centipede Hz (6.2)

Lotus Plaza – Spooky Action at a Distance (6.2)

Bad Books – II (6.2)

Mgła – With Hearts Toward None (6.2)

of Montreal – Paralytic Stalks (6.2)

Burial – Truant / Rough Sleeper (6.2)

SH.TG.N – SH.TG.N (6.1)

Car_Bomb – w^w^^w^w (6.1)

Alberta Cross – Songs of Patience (6.1)

Carly Rae Jepsen – Kiss (6.0)

Behold… the Arctopus – Horrorscension (6.0)

Eraas – ERAAS (6.0)

Teen Daze – The Inner Mansions (6.0)

Balthazar – Rats (6.0)

The Killers – Battle Born (6.0)

John Zorn – Nosferatu (6.0)

Various Artists – Cruel Summer (6.0)

Breakbot – By Your Side (6.0)

Lana Del Rey – Lana Del Rey (6.0)

Om – Advaitic Songs (6.0)

Japandroids – Celebration Rock (6.0)

Gazpacho – March of Ghosts (6.0)

ScHoolboy Q – Habits & Contradictions (6.0)

Internet Club – Final Tears (6.0)

Eric Harvey – Lake Disappointment (6.0)

Six Organs of Admittance – Ascent (6.0)

Matthew E. White – Big Inner (6.0)

Beefheart – Bat Chain Puller (6.0)

Led Zeppelin – Celebration Day (6.0)

Benjamin Herman – Deal (6.0)

Swedish House Mafia – Until Now (6.0)

Ke$ha – Deconstructed (6.0)

Sharon Van Etten – Tramp (6.0)

Horrid Red – Celestial Joy (6.0)

Jessica Pratt – Jessica Pratt (6.0)

Silva – Claridão (6.0)

Um comentário em “Melhores discos de 2012

  1. Pingback: Lista de Meio de Ano: 2014 | Papel Cult

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/12/2012 por em Listas, Música e marcado , .
%d blogueiros gostam disto: